quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Continuidade e Regularização do Centro de Arte Mª Teresa Vieira, há 25 anos na Rua da Carioca.


Em 27 de maio de 2011, o Centro de Arte Maria Teresa Vieira, recebeu uma notificação de desocupação do imóvel próprio municipal que ocupa e reconstruíu através de doações de alunos, amigos e da iniciativa privada, na Rua da Carioca, 85 - Centro, porém, após uma campanha de apoio à continuidade e regularização junto aos artistas, educadores, produtores culturais, ass.dos arte educadores, Sarca, Apta (P.Tiradentes) Rotary, e vários setores representativos da sociedade, bem como artistas de reconhecimento nacional e internacional, como Ziraldo, Fernado Pamplona, Ferreira Gullar, Pedro Cardoso, conseguimos, felizmente o apoio da Frente Parlamentar pela Democratização da Comunicação e da Cultura (Câmara Municipal do Rio de Janeiro), através de seu presidente o vereador Reimont Otoni, que sensibilizado com o risco do acervo de mais de 400 obras de arte de Maria Teresa, juntamente com todo mobiliário da instituição irem para um depósito da Prefeitura, levou seu apoio e nosso pleito ao prefeito Eduardo Paes, que prontamente se posicionou apoiando a continuidade e a regularização do Centro de Arte na Rua da Carioca, por entender também que este, além de contribuir há seis décadas na formação de milhares de alunos através de sua fundadora e artistas vinculados a instituição, guarda seu acervo e representa o legado de uma das pioneiras da arte educação brasileira, da inclusão social através da arte, da arte terapia, da educação inclusiva, foi também, o centro de arte, pioneiro na revitalização da Praça Tiradentes e Rua da Carioca, desbravando á partir de 1986, uma área com dificuldades tamanhas.

Hoje estamos em processo de parcelamento de uma dívida de aluguel deste imóvel com a prefeitura, pois, quando Maria Teresa Faleceu, o contrato que era feito em nome da pessoa física dela, não foi renovado em nome de sua instituição como prometido, deixando-nos 12 anos sem contrato, e isso inviabilizou a captação de recursos e a entrada de novos sócios, engessando a dinamização da atividades e promovendo dificuldades. Muita gente pensa que este imóvel foi doado ou cedido a instituição por ela tê-lo reconstruído, restaurado e alí implantado um projeto de âmbito social, como sempre fez, oferecendo oportunidades de estudo em artes visuais gratuitamente a alunos da rede pública, de 30 a 60 bolsas anuais, além de promover exposições de artistas plásticos com custos bem abaixo dos próprios equipamentos públicos,

Com o apoio do prefeito Eduardo Paes, esperamos que até o fim do ano estejamos assinando o novo Contrato de Permissão de Uso Remunerada, para que possamos enfim, ter amparo jurídico necessário ao bom andamento de qualquer atividade profissional, ainda mais artística e cultural. Empresários e instituições amigas aguardam o contreto para iniciarmos convênios, programas e projetos culturais. Mas, tudo isso acabaou gerando muita motivação e contagiando a todos com muita vontade de acertar, de produzir. Portanto, o Centro de Arte Maria Teresa Vieira, vem a cada dia aumentando qualitativamente sua programação de exposições mensais, eventos de música e poesia, como inserindo novos cursos, fóruns de debates e encontros, e até convênios e parcerias que já se fazem presentes. Só temos a agradecer o apoio de todos e continuar a fazer da arte um instrumento de solidariedade, de criatividade e de enriquecimento interior. Obrigado. 

Arnaldo Vieira de Alencastre

PS. Vídeo sobre o assunto (You Tube / Blog Teimont): https://www.youtube.com/watch?v=zSbCo0zwL-k&feature=player_embedded